Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Maio, 2013

Porque há parte de mim que nunca voltou...Que a outra lua pertence...

(Tenho saudade...da terra que me faz sorrir)

Pati e a sua migalha do dia...

A máxima negativa "não faças aos outros..." não vem no Evangelho, é mais antiga e geral, aparece noutras religiões. A novidade que Cristo trouxe foi propor positivamente: "Faz aos outros (toma a iniciativa, serve, sai de ti) o que quererias que te fizessem!"

ONDE HÁ CRISE, HÁ ESPERANÇA
Pe. Vasco Pinto de Magalhães, sj

Pati e a sua migalha do dia... (Já percebi ;-)

Não sou auto-suficiente, sou uma criatura necessitada de amor. E por isto sou pecador, o que neste sentido até tem uma dimensão positiva. Quando Pedro cai aos pés de Jesus e lhe diz: "Afasta-te de mim que sou pecador", está a dizer: "Preciso de ser amado". E há pessoas que não querem aceitar a necessidade de ser amadas neste sentido profundo. Apreciam muito que gostem delas, mas isso é o alimento do afagar do ego e não o reconhecer da sua carência estrutural.

ONDE HÁ CRISE, HÁ ESPERANÇA,
Pe. Vasco Pinto de Magalhães

Credo

27.05.2013 Hoje soube bem pertencer a BIOMÉDICAS!!!!

Pati e a sua migalha do dia...

O saber e o sabor. Hoje vou estar mais atento ao "sabor das coisas" do que a "saber as coisas". É que há muita gente que não sabe qual é o sabor da vida simples e desprendida, de um encontro pacífico e não interesseiro, de um momento de verdade... É talvez mais importante saborear a vida do que saber da vida.

NÃO HÁ SOLUÇÕES, HÁ CAMINHOS,
Pe. Vasco Pinto de Magalhães

Perdoar-me

José Luís Nunes Martins
i-online 25 Maio 2013 Nem sempre as minhas ações estão de acordo com o que sou. Umas vezes pela vontade de impedir o bem; outras, pela de permitir o mal. Quase sempre por medo.
O principal dano das minhas culpas recai sobre mim mesmo, um vez que transgrido a mais essencial de todas as leis de que faço parte: o meu projeto íntimo de felicidade.
A culpa é um estado de dívida que visa ser saldado por uma pena que, justa, reponha o homem de novo a caminho do seu destino.
Porque o passado é, por essência, inalterável, sobra o tempo que se tem por diante. O arrependimento é a firme disposição de mudar o futuro para remissão da falta cometida.
Estamos condenados ao arrependimento, somos livres e erramos, e este sofrimento voluntário é a única forma de purificação realmente eficaz... Embora a culpa só desapareça com o perdão de todos os que prejudicámos... e a tentação do mal esteja sempre por perto, depois da penitência até mais do que antes...  mas também é verdade que, co…

"O Senhor está sempre na minha presença." XVII

(Margarida Alvim) 
Por isso com teus gestos me vestiste E aprendi a viver em pleno vento.
Sophia de Mello Breyner

21.05.2013 Hoje fui mais além...

Provas de fogo

O fogo torna o ouro mais ouro, traz ao de cima aquilo que ele é verdadeiramente.
O fogo reduz a palha a nada.

Descobrimos que o problema não é o fogo. Que não é prova de fogo em si...
Devemos e podemos perguntar-nos apenas de que material somos feitos. Que resposta o material de que somos feitos dá às chamas? Aqui recomeça o caminho...

Pe. Miguel

...uma forte rajada de vento...e começaram a falar outras línguas

De pés descalços...

Margarida Alvim Eclesiastes 11, 1-6
Espalha o teu pão sobre a superfície das águas; Passado muito tempo, achá-lo-ás de novo. Reparte do que tens com sete ou com oito pessoas; Não sabes que calamidade pode sobrevir à terra. Quando as nuvens estiverem carregadas, Derramarão chuva sobre a terra. Quer a árvore caia para o sul ou para o norte, Onde cair aí ficará. Quem observa o vento, não semeia; E o que examina as nuvens não ceifa. Tal como desconheces o evoluir do espírito e dos ossos No ventre da mulher grávida, Assim também não conheces as obras de Deus, Que faz todas as coisas. Semeia de manhã a tua semente, E de tarde não deixes as tuas mãos ociosas, Porque não sabes qual das coisas resultará melhor, Se esta ou se aquela, Ou se ambas são igualmente úteis.
Nunca fui como todos Nunca tive muitos amigos Nunca fui favorita Nunca fui o que meus pais queriam Nunca tive alguém que amasse Mas tive somente a mim A minha absoluta verdade Meu verdadeiro pensamento O meu conforto nas horas de sofrimento não vivo sozinha porque gosto e sim porque aprendi a ser só.





Florbela Espanca

Entusiasmo (do grego en + theos, 'em Deus')

Sempre que tenhas olhos para a ver. Não é de hoje.
(Agora soube-me bem.)
Está tão próxima
a nascente
que os nossos lábios a perdem

Tão imediata é a luz
da sua água perene
que os nossos olhos se ofuscam

tão vazia e transparente
tão cúmplice do nosso espaço
que nela somos sem ver
que nela estamos sem estar




António Ramos Rosa
(in A Intacta Ferida)

Enquanto a minha vida começava...

Os meus passos escutam o chão enquanto a alegria do encontro me desaltera e sacia. O meu reino é meu como um vestido que me serve. E sobre a areia sobre a cal e sobre a pedra escrevo: nesta manhã eu recomeço o mundo.

Sophia de Mello Breyner Andresen in Obra Poética Caminho
Não te analises.

Não procures no perfume das flores
a tempestade das raízes.

Nem queiras
desatar o fumo
do carvão das fogueiras.

Ama
com ossos de cinza
e cabelos de chama.

E deixa-te viver
Em rio a correr…

José Gomes Ferreira
E se a vida fosse uma grande porta... E se eu ficasse diante dela sem saber se deixar entrar, se sair... E se, assim, ficasse indeciso com a mão no puxador, sem saber que fazer perante a vida, a morte, este acontecimento, esta amizade... Saio sem bater? Abro a quem bate? Saio de qualquer maneira ou deixo a porta aberta? Já era quase tarde quando descobri que deixar entrar era sair de mim...
NÃO HÁ SOLUÇÕES, HÁ CAMINHOS, Pe. Vasco Pinto de Magalhães
"Ele não dá ponto sem nó". (...) Mas Deus dá todos os pontos e deixa tudo em aberto. Eu darei o nó se quiser.

Pe. Vasco Pinto de Magalhães
Qual é o critério para tomar uma grande decisão na vida? É o da felicidade? Perguntou-me. Se queres a minha resposta, eu acho que não. Acho que o critério tem de ser outro. Não o da felicidade, mas o da fecundidade. Aonde achas que a tua vida será mais fecunda? Por onde, ela fará nascer a graça de Deus e será expressão de esperança e de consolação para os outros? Julgo ser isto, a fecundidade.
Então e a felicidade? Perguntou de novo. A felicidade? Não te preocupes excessivamente com ela. Ela virá depois. Virá quando a vida estiver movida pela fecundidade.

Nuno Branco, sj
Conheço a residência da dor.
É um lugar afastado,
Sem vizinhos, sem conversa, quase sem lágrimas,
Com umas imensas vigílias diante do céu.

A dor não tem nome,
Não se chama, não atende.
Ela mesma é solidão:
Nada mostra, nada pede, não precisa.
Vem quando quer.

O rosto da dor está voltado sobre um espelho,
Mas não é rosto de corpo,
Nem o seu espelho é do mundo.

Conheço pessoalmente a dor.
A sua residência, longe,
Em caminhos inesperados.

Às vezes sento-me à sua porta, na sombra das suas árvores.
E ouço dizer:
“Quem visse, como vês, a dor, já não sofria”.
E olho para ela, imensamente.
Conheço há muito tempo a dor.
Conheço-a de perto.
Pessoalmente. Cecília Meireles

O Senhor voltou a ser presença... I