Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Fevereiro, 2015

Hoje (ainda) em Mesão Frio

Estava à nossa espera, Dª Francelina?
Então não? Esta manhã, até contei ao Sr. Padeiro que os meninos iam voltar.

Hoje (ainda) em Mesão Frio

Contempla  quanta vida cabe no teu colo Fecha os olhos E nunca a abandones senão junto do teu peito

Um café para adormecer, por favor!

Um café para adormecer, por favor!
São dez e meia. Mais coisa menos coisa. As pessoas entram no café do costume. Sentam-se, pousam malas, telemóveis, maços de cigarros como pequenas sementes de conversas que, durante um tempo, não terão fim. Cumprimentam-se, reviram os olhos à rotina que finalmente terminou e brindam ao resto de noite que ainda têm pela frente. Ouvem-se restos de conversas. Pousam nas mesas alheias como sobras de cinza de cigarro. As gargalhadas são discretas e estão sentadas à mesa. Como nós. Entre os muitos que chegam e que partem, surge uma presença diferente. Que sobressai. Não sobressai pelas cores que veste, pelas marcas que usa, pelo tablet último modelo debaixo do braço, pelo tamanho da carteira ou pelo que tem dentro. Sobressai pela pobreza. Sobressai pelos bolsos das calças puídas. Demasiado grandes para o nada que têm dentro. Nas mãos um saco de plástico branco com os pertences de uma vida. Uma colher. Três chávenas de plástico. Cigarros. Duas moedas de um…
Há um aspeto muito curioso no evangelho de hoje [Mc 2, 1-12]. Quatro homens fazem de tudo para levar um paralítico até diante de Jesus. Não conseguindo atravessar a multidão, descem-no pelo telhado. Nos três evangelhos que contam esta situação, o narrador diz que Jesus ficou impressionado com a fé daqueles homens, mas nenhum nos oferece uma mísera palavra que seja sobre o paralítico! Ou seja, o evangelho não está interessado na fé daquele doente particular: não interessa tanto o que ele tenha sentido, dito ou pensado. O foco está todo posto sobre os outros homens: e, mesmo assim, sobre eles, os evangelistas nem se preocupam em explicar que relação teriam com o paralítico; o evangelho de Lucas e de Mateus nem dizem quantos eram. Mas todos estão de acordo em dizer que foi o suficiente para Jesus lhe curar os pecados e a paralisia. E todos ficaram maravilhados. Ora o que salta imediatamente à vista é que a cura chegou pela mediação de outras pessoas! O que esta narrativa nos diz é que, …

Hoje (ainda) em Mesão Frio

Há abraços que são eternos. Que amam tanto. Que querem tanto. Que neles ficamos para sempre.
Eu tive uma relação bastante boa com o Senhor. Pedia-lhe coisas, conversava com Ele, louvava-O, agradecia-Lhe...
Mas sempre tive a incómoda sensação de que Ele queria que eu O olhasse nos olhos... coisa que eu não fazia. Eu falava-Lhe, mas desviava o meu olhar quando sentia que Ele estava a olhar para mim. Olhava sempre para outro lado. E sabia porquê: tinha medo. Pensava que nos Seus olhos iria encontrar um olhar de reprovação por algum pecado do qual eu não me tivesse arrependido. Pensava que nos Seus olhos ia encontrar uma exigência; que havia alguma coisa que Ele queria de mim.
Por fim, um dia, reuni a suficiente coragem e olhei. Não havia nos Seus olhos reprovação nem exigência. Os Seus olhos limitavam-se a dizer: “Amo-te”. Fiquei a olhar fixamente durante muito tempo. E ali continuava a mesma mensagem: “Amo-te”. E, tal como Pedro, sai para fora e chorei”
Antony de Mello, El canto del pajaro, p. 148:
Zé Vieira Missão País, 2015
"Acordei com medo de bater com a cabeça na cama de cima.. Estou à espera que a Lokas me ligue para eu me levantar da cama porque já passam das horas combinadas e é preciso irmos os dois aos gritos pelos corredores a acordar toda a gente. Depois vou poder desejar um bom dia a cada um enquanto procuro pelas músicas mais estúpidas para conseguir acordar o António que ontem deve ter ido dormir tarde e ainda está na cama.. O Félix já passou por mim há algum tempo.. Quando o fez gritou 'Bón dia Xé!!'.. Soube bem. A Patrícia já deve estar acordada há horas e com mil coisas feitas.. O Mindão entretanto passará também por mim mas com ar cansado.. Além do nervosismo a pensar nas arestas que ele e a Susi têm de limar no teatro também o ressonar do Padre Félix não o deixou adormecer tão cedo. Mas vamos todos acordar com aquele belo pequeno almoço, nem vai parecer que pouco dormimos. Não será belo por ser cheio de doces, proteína, cereais variados e sumos …

Falta um dia!

O que julgamos, o que dizemos, o que fazemos, estabelece a nossa identidade. Cria a nossa essência. Define-nos. Esse é um dos nossos maiores talentos: a liberdade de nos escolhermos.
(...)
Dou-me conta de que posso mudar quase tudo, hoje mesmo?
Via-sacra para crentes e não-crentes
José Luís Nunes Martins; Paulo Pereira da Silva
"De pouco vale viver uma vida inteira se não sentirmos que o mais valioso que temos, o que somos, não é para nós, serve precisamente para oferecermos. Sim, sem porquê nem para quê. Sim, de mãos abertas. Sim... porque, ainda além de tudo o que aqui existe, há um mundo onde vivem para sempre todos os que ousaram amar... "




José Luís Nunes Martins
"Quanto tu sofreres
ama mais forte Ama aqueles
que choram mais lágrimas
que tu,
que têm mais frio
mais fome
e estão mais sós consigo mesmos
e quase inexistentes,
mais ausentes
em si mesmos. Não há para ti
outra alegria
possível."
Abbé Pierre
Sexta-feira, 6 de Fevereiro de 2015
Durante a última ceia com os seus discípulos, Jesus disse-lhes: "Se eu, o Senhor e o Mestre, vos lavei os pés, também vós vos deveis lavar os pés uns aos outros." Jo 13, 1-15
Pelo teu Evangelho, Cristo de compaixão, descobrimos que medir aquilo que somos ou não somos não leva a lado nenhum. O essencial está na muito humilde confiança da fé. Por ela nos é dado a compreender que "Deus apenas pode dar o seu amor".
Taizé readings

Percebi hoje que este ano fico

Desenha, as palavras estão cheias de um silêncio que não se cala. 
Pati Taizé, 2014


Quinta-feira, 5 de Fevereiro de 2015

Jesus disse: "Vinde a mim que sou manso e humilde de coração e encontrareis descanso para o vosso espírito."

Mt 11, 28-30

Um dia, Santa Teresa de Ávila e São João da Cruz reúnem-se para uma refeição. Trazem uvas. João da Cruz declara: "Não vou comê-las, pois muita gente não as tem." Teresa de Ávila responde: "Pois eu vou comê-las para louvar a Deus por estas uvas."

Taizé Readings
Oração da Manhã de 27 de Janeiro
"Passar próximo do lugar onde o Anjo te anunciou, do berço onde nasceste, tocar as águas onde foste batizado por João, pisar as pedras do púlpito onde explicaste Isaías, olhar as talhas onde passou o primeiro milagre, em Caná; E o lago,as águas e as margens, onde tanto do teu mistério aconteceu. E o lugar de Pedro, o Monte das Bem-aventuranças, a subida a Jerusalém, os muros de aclamação e perseguições, a Ceia,a flagelação,a morte; a frieza da pedra do Sepulcro que ficou vazio e eloquente para a tua Ressurreição,Ascenção. E o resto. O Pentecostes, a Tua glória. E Maria tua Mãe,presente em cada momento da Tua vida. E os dois mil anos dos que Te seguem vivo, em multidão, seis milhões nas Filipinas, em oração com o Papa Francisco, vivendo este mistério que, como Tu, é de ontem,hoje e sempre. E este hino de acção de graças por continuares vivo, no meio de nós,testemunha e companheiro das nossas dores, mistério perene de morte e ressurreição. Prometest…
Há dias em que julgamos
que todo o lixo do mundo
nos cai em cima
depois ao chegarmos à varanda avistamos
as crianças correndo no molhe
enquanto cantam
não lhes sei o nome
uma ou outra parece-se comigo
quero eu dizer :
com o que fui
quando cheguei a ser luminosa
presença da graça
ou da alegria
um sorriso abre-se então
num verão antigo
e dura
dura ainda.






eugénio de andrade

Vens-me buscar?

- Vens-me buscar? - Vou. Mas onde? - Tanto faz, desde que me venhas buscar.
Pedro Paixão, Histórias Verdadeiras

Hoje encontrei Deus (também) aqui

Descalço-me para abrir caminhos. Rasgar a terra com os meus passos.

"Hope is like a path in the countryside. Originally, there is nothing - but as people walk this way again and again, a path appears." -- Lu Xun, Chinese Essayist, 1921
Mais à frente, dava-se início às campanhas de vacinação e às aulas de higiene e primeiros socorros domésticos, segundo um programa inventado pelo meu pai com as mulheres mais inteligentes e receptivas de cada lugar e que depois levaria a cabo em toda a Colômbia com o nome de "promotoras rurais de saúde". Por vezes, ia-nos buscar num autocarro da Universidade e levava-me a mim e a todos os seus estudantes, porque gostava que ajudassem e aprendessem ao mesmo tempo: "A Medicina não se aprende apenas nos hospitais e nos laboratórios, vendo pacientes e estudando células, mas também na rua, nos bairros, dando-nos conta do porquê e de que é que adoecem as pessoas", dizia-lhes muito sério, desde a primeira fila do autocarro, empunhando um microfone.
héctor habad faciolince
somos o esquecimento que seremos

Já faltou mais, miúda.

When you try your best but you don't succeed
When you get what you want but not what you need
When you feel so tired but you can't sleep
Stuck in reverse

When the tears come streaming down your face
When you lose something you can't replace
When you love someone but it goes to waste
Could it be worse?

Lights will guide you home
And ignite your bones
I will try to fix you

High up above or down below
When you're too in love to let it go
But if you never try you'll never know
Just what you're worth

Lights will guide you home
And ignite your bones
And I will try to fix you

Tears stream down your face
When you lose something you cannot replace
Tears stream down your face
And I

Tears stream down your face
I promise you I will learn from my mistakes
Tears stream down your face
And I

Lights will guide you home
And ignite your bones
And I will try to fix you