Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Fevereiro, 2017
No final do caminho, apenas me perguntarão: «Amaste?» E eu não direi nada. Abrirei as mãos vazias e o coração cheio de nomes. http://gasafricaporto.page.tl/P%E1gina-Inicial.htm

Hoje

Que maravilha!

Coisas que valem tudo!

Fragmentos

"Soy raíces pero también ramas que buscan su cielo"

TV 2 | All That We Share

Tu eras também uma pequena folha que tremia no meu peito. O vento da vida pôs-te ali. A princípio não te vi: não soube que ias comigo, até que as tuas raízes atravessaram o meu peito, se uniram aos fios do meu sangue, falaram pela minha boca, floresceram comigo. Pablo Neruda
Há dias que eu odeio         como insultos a que não posso responder sem o perigo duma cruel intimidade coma mão que lança o pus que trabalha ao serviço da infecção São dias que nunca deviam ter saído do mau-tempo fixo que nos desafia da parede dias que nos insultam que nos lançam as pedras do medo os vidros da mentira as pequenas moedas da humilhação Dias ou janelas sobre o charco que se espelha no céu dias do dia-a-dia comboios que trazem o sono a resmungar para o trabalho o sono centenário mal vestido mal alimentado para o trabalho a martelada na cabeça a pequena morte maliciosa que na espiral das sirenes se esconde e assobia Dias que passei no esgoto dos sonhos onde o sórdido dá as mãos ao sublime onde vi o necessário onde aprendi que só entre os homens e por eles vale a pena sonhar alexandre o’neill tempo de fantasmas cadernos de poesia novembro de 1951

Coisas que têm quereres

Where’s somewhere I can cross the sea In a land that’s lost and free With my darling close to me At least where I’m supposed to be.(someday) Yeah somewhere on the ocean breeze And around the swinging trees You’re the only one for me That is where I long to be. Somedaaay.. You’re somewhere out upon the beach Out of range and out of reach With the truest love of mine Underneath the bluest sky. Yeah far away from any time We’ll watch the lazy sun go down With my sweetheart I lay down That is where I will be found. Someday
Para ler  muito devagarinho e respirar cada verso de olhos fechados. "Ando um pouco acima do chão Nesse lugar onde costumam ser atingidos Os pássaros Um pouco acima dos pássaros No lugar onde costumam inclinar-se Para o voo Tenho medo do peso morto Porque é um ninho desfeito Estou ligeiramente acima do que morre Nessa encosta onde a palavra é como pão Um pouco na palma da mão que divide E não separo como o silêncio em meio do que escrevo Ando ligeiro acima do que digo E verto o sangue para dentro das palavras Ando um pouco acima da transfusão do poema Ando humildemente nos arredores do verbo Passageiro num degrau invisível sobre a terra Nesse lugar das árvores com fruto e das árvores No meio de incêndios Estou um pouco no interior do que arde Apagando-me devagar e tendo sede Porque ando acima da força a saciar quem vive E esmago o coração para o que desce sobre mim E bebe." Faria, Daniel in Poesia
"Os milagres acontecem quando não desistimos de Jesus, de chegar a Jesus." Ontem, com o Santiago