Avançar para o conteúdo principal
http://derrotarmontanhas.blogspot.pt/2017/06/o-fascinio-da-beleza.html

"A beleza salvará o mundo..." [F. Dostoievski]

"O estatuto primordial da beleza reside no dom desinteressado e no ato de amor. O gesto de amor é sempre belo. Aqui se funda o princípio da beleza de Deus: o dom supremo da sua vida por nós. Um dom de amor é o esplendor do fundamento que nos faz vibrar e nos seduz. 
É necessário lutar com a beleza de Deus; ela não é uma graça barata, vulgar, mas de elevado preço, preciosa. Pois não basta olhar: diversos são os modos de olhar; não basta tocar: muitas são as maneiras de tocar. (...)
Eis a tarefa que nos espera: reanimar o entorpecimento do gosto de Deus, que aflige os nossos sentidos espirituais. 


A vida não avança por investidas da vontade, mas por atracção. Sou cristão por uma atracção: «Quando for erguido da terra, atrairei todos a mim» (Jo 12,32)
A vida não avança por imposições, mas por seduções. E a paixão, a atracção, a sedução nascem de uma beleza. A paixão por Deus irrompe por se ter descoberto a beleza de Cristo. Deus não nos atrai por ser omnipotente, não nos seduz por ser omnisciente; por estas coisas pode também ser admirado, e até obedecido, mas não amado. Deus seduz-nos com o seu rosto de amor e com a vida bela de Cristo. Prefere mais ser amado do que obedecido. Amado por estes livres, mesquinhos e esplêndidos filhos que nós somos. 


Donde nasce o desejo, a busca de Deus? Não de um dever. Não existe, de facto, uma obrigação de buscar nem de amar. Amor imposto é negação de amor. Nasce, pelo contrário, de uma pobreza e de um tesouro; de uma ausência e de uma imprevista beleza. A vida humana não avança por decretos, mas por sedução de tesouros e de pérolas, porque «onde estiver o teu tesouro, aí estará também o teu coração (Mt 6, 21). (...)
Deus em mim, incremento de humano, vida bela, êxtase da história, paz e força, surpresa, encanto, horizonte, queda e ressurreição; outras vidas dentro da minha vida; um suplemento de asas, senda para mais liberdade, mais amor, mais consciência. (...)
Deus não nos seduz com a sua eternidade, mas com a beleza dos gestos de amor de Jesus Cristo, com os sulcos traçados na consciência pelos encantos do mundo que existe. (...)


A verdade envolve, encanta e convence na medida em que também se faz beleza e ternura. A Verdade sem a verdade dos afectos não persuade o ânimo humano. "


Ermes Ronchi, in "Tu és Beleza"

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Máscaras D’Orfeu

Finjo Finjo tanto
Que até a pensar finjo que penso Finjo tanto, que fujo em cavalos de fumo
Num galope de gazela de vento, com olhos de lua
E lágrimas húmidas de mundos tristes
Só para imitar beleza de imagens que nunca tive (momento doce nesta tempestade subterrânea) Agora...
Agora a infância já me fica tão distante
Mas mesmo assim, continuo a vestir o bibe das riscas azuis
Com que me vou enlamear no pântano mais próximo
Para saborear o medo e a inocência
De quem é condenado por julgar estrelas
As pedras humilhadas desta rua que outrora me pertenceu Construo cidades de água e jardins transparentes
Onde planto flores de sono, que amo e possuo
Num acto único de metamorfose selvagem E finjo
E finjo a coragem que não tenho
No retrato mentiroso da moldura onde me exibem
Com o sorriso irónico da punhalada traiçoeira (Futuro génio da família… dizem eles) Promoção gratuita na condição de nunca ser eu
Mas sim, o cadáver ambulante da sua vontade Querem-me vestido de carne à sua semelhança!
Na…